sidemenu-retrato-IAIS.png

Malta!

Bem-vindos ao I am Isabel Silva. Escrevo sobre a minha vida, os meus alimentos, as minhas corridas, o meu Caju. Espero que desfrutem.

O copo menstrual é outra forma de dizermos não ao plástico. Eu explico-vos tudo.

O copo menstrual é outra forma de dizermos não ao plástico. Eu explico-vos tudo.

Todos os meses produzimos uma quantidade absurda de lixo ao usar tampões e pensos higiénicos descartáveis. Mas não tem de ser assim.

Desde que iniciei o desafio do Plastic Free July — leiam tudo aqui —, tenho percebido que, nesta fase da minha vida, parece-me praticamente impossível deixar totalmente o plástico. Estas coisas, como vos disse, não acontecem de um dia para o outro, mas estou focada em tentar fazer algumas mudanças na minha rotina. 

A grande lição que retirei nestes últimos dias foi que, depois de ter despertado a minha consciência, o segundo passo que tomei foi recusar. Recusar tudo o que é plástico de utilização única, e tenho um exemplo para partilhar convosco. Esta semana fui a um evento onde me ofereceram vários presentes, muitos deles embalados em plástico. O que é que fiz? Recusei. Não todos, mas sim aqueles que não faziam sentido para mim e aos quais não iria dar utilidade, as outras pensei logo “para quê”?

Outra das coisas que aprendi a fazer foi antecipar. Agora ando sempre com um tea cup, para que possa levar cafés sem ser em copos de plástico, a ter os meus talheres, os meus naprons e guardanapos de panos. No entanto, deparei-me com uma situação em que estava a jantar no shopping e, como não tinha os meus guardanapos de pano, tive de usar os de papel. Lá está, não antecipei, falhei, mas aprendi com isso. 

Além disso, percebi que o meu porteiro tem sempre imensos jornais à entrada do prédio, o que é ótimo porque, tal como a Eunice da Maria Granel me aconselhou, posso usá-los para apanhar os cocós do Caju na rua. Não deixa de ser de papel, mas já foi lido e, em vez de gastar sacos biodegradáveis, uso o papel. Com isto, mais uma vez, não quero dizer que vou deixar, de todo, de usar os meus sacos. Vou sim tentar reduzir ao máximo. 

Há coisas que já fazia, como vos expliquei, mas acho que o mais importante, neste momento, tem sido recusar tudo aquilo ao que não vou dar utilidade e que só vou usar uma vez, e isso obrigou-me a antecipar. São pequenos gestos como estes que fazem a mudança. 

Posto isto, em conversa com a Eunice, falámos de temas sobre os quais muitas meninas têm colocado dúvidas. Ela falou-me sobre a questão do período e da quantidade de pensos higiénicos e tampões que são uma das maiores fontes de lixo e desperdício no nosso planeta quando, na verdade, existem opções bem mais sustentáveis.

Copo menstrual. Diz-vos alguma coisa? É uma das formas de substituir a quantidade absurda de pensos higiénicos e de tampões que cada mulher gasta por ano. Tudo, graças a um pequeno copo feito em silicone que se utiliza como se fosse um tampão. A diferença é que, assim que o inserem, o copo vai formar uma espécie de vácuo e recolher todo o sangue que cai. Ao final de 10 ou 12 horas, basta retirarem, lavarem e voltarem a colocar. 

DSC_9277.jpg
ORGANICUP_MOOD_02.jpg

Sei que este ainda é um conceito estranho para muitas mulheres que olham para o copo menstrual como se fosse um bicho de sete cabeças. Mas já pensaram na quantidade de químicos que estão a colocar no vosso corpo quando usam um tampão? A revista “Time” publicou em 2016 um artigo sobre esse assunto — leiam o artigo completo aqui — e um dos químicos utilizados é a dioxina, que branqueia o algodão dos tampões e que a Organização Mundial de Saúde considera super tóxico para organismo. 

Este é só um dos motivos pelos quais devemos trocar os tampões e pensos, que também são tóxicos, pelo copo menstrual. Mas, tal como a Eunice me explicou, existem muitas outras vantagens: 

— É muito mais prático do que um penso ou tampão (basta colocarem de manhã e retirarem à noite);

— Pode ser usado em qualquer situação, até mesmo para fazer desporto;

— Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode usar;

— É muito mais económico em relação a pensos e tampões

— Não deita cheiros;

— Não causa infeções (a não ser que não seja desinfetado)

Claro que muitas de vocês devem estar a pensar que isto é um bicho de sete cabeças e uma coisa super complexa, mas não passa de uma questão de hábito. É só perceberem bem como é que colocam o copo — podem encontrar vários vídeos no YouTube e ir testando — e, depois disso, vai ser difícil voltarem a querer usar pensos ou tampões. 

E para as meninas que estão assustadas com o tamanho do copo, e acham que vão ter dores, não precisam de ficar preocupadas. Assim que colocarem o copo nem vão perceber que ele lá está, a não ser que, tal como acontece com os tampões, não esteja bem colocado. Neste caso, é retirar e voltar a inserir. 

Outra das coisas com que se devem preocupar é com a higiene. Cada vez que retirarem o copo, devem sempre ter o cuidado de o lavar bem com um sabonete próprio e, sempre que o forem utilizar no início de cada ciclo, têm de o esterilizar em água a ferver, entre cinco a dez minutos. Isto vai limpar todas as bactérias e prevenir prevenir eventuais infeções.

E agora vocês perguntam, e bem: “Mas onde é que eu encontro este copo?”. Podem passar numa farmácia, porque muitas já os têm, ou nas lojas da Maria Granel, em Alvalade e Campo de Ourique. Se preferirem, também podem encomendar online aqui

Meninas, como vos disse no artigo anterior, tudo começa com pequenos passos e nós, enquanto mulheres, temos a hipótese de fazer a diferença com este pequeno gesto. Acreditem, é bem mais fácil do que parece. Só custa começar e, se todas tomarmos uma atitude, podemos fazer a diferença. O ambiente agradece. 

Levo o meu mundo sempre comigo nesta mochila. Eu explicar-vos porquê

Levo o meu mundo sempre comigo nesta mochila. Eu explicar-vos porquê

Como eu crio os meus looks quase  sem gastar dinheiro em roupa nova

Como eu crio os meus looks quase sem gastar dinheiro em roupa nova