sidemenu-retrato-IAIS.png

Malta!

Bem-vindos ao I am Isabel Silva. Escrevo sobre a minha vida, os meus alimentos, as minhas corridas, o meu Caju. Espero que desfrutem.

A minha rotina de férias tem praia, marmita e bolas de  Berlim

A minha rotina de férias tem praia, marmita e bolas de Berlim

Nestes dias sou verdadeiramente feliz. Desligo do mundo, deixo as preocupações de tarde e cuido da minha mente. Não falta nada, nem a bela da Bola de Berlim.

Se há coisa que me obrigo a fazer todos os anos é a tirar uns dias de férias. Mas férias a sério, percebem? Daquelas em que a pessoa desliga completamente, esquece que existem problemas e em que a maior preocupação é colocar a mesa para o jantar depois de um dia de praia. 

Quem tem acompanhado as minhas stories no Instagram sabe que vim de férias para o Algarve. É um ritual que mantenho há vários anos, e sei que estes dias longe da confusão e do reboliço que é a minha vida fazem mesmo bem ao meu corpo e mente. Venho em modo zen, completamente renovada e pronta para enfrentar o mundo. 

Agora que estou de férias, percebi que sou daquelas pessoas que vão para a praia, mas não gostam de estar de papo para o ar a apanhar sol, sem fazer nada. Hoje quero partilhar convosco o meu ritual. 

Gosto de passar férias com a minha amiga Inês. É uma das minhas melhores amigas e vamos quase sempre de férias juntas. Assim que chegamos ao Algarve, a primeira coisa que fazemos é ir ao Apolónia, um centro comercial, e fazemos compras para a semana toda. Nunca falha, e sabe tão bem deixar já tudo organizado desta forma. 

eb16b1e2-129e-404b-906c-05fc08911300.jpg
a22b9476-7664-46ef-942d-ae7d7ed20e2b.jpg

Estou de férias, mas não esqueço a atividade física, por isso, acordo sempre cedinho e corro. A Inês também faz desporto, mas eu sou mais focada e não vacilo, nem quando estou fora. Assim que termino a corrida, volto a casa e preparamos as marmitas para o dia inteiro. Wraps, duas mega saladas cheias de ingredientes do bem, ovos, panquecas, enfim, uma marmita que dá para nos manter alimentadas de manhã à noite. 

Enquanto isso, a Inês, bem mais organizada do que eu — e o bem que sabe ter alguém mais organizado do que nós nestes momentos — prepara aquelas coisas todas que temos de levar para a praia. Guarda-sol, pára-vento, toalhas, não falta nada. Se ela for a confiar na Isabel Silva, chega à praia só com toalha, protetor solar e a bela da marmita. Assim que chegamos, ela monta tudo, pousamos as coisas, colocamos o nosso protetor e vamos fazer uma longa caminhada. 

São duas horas para cá e para lá, em que só temos carteira e telemóvel, aos quais quase nunca damos atenção. E falamos da vida. Do que se está a passar com cada uma de nós. E vocês podem estar a pensar “mas oh Isabel, duas horas não é cansativo?”, não, nada. Adoramos a companhia uma da outra e gostamos muito de conversar. São duas horas que passam a “boar”, sabem? Caminhamos, sentimos aquela aragem fresca, sentimos a areia nos pés, de vez em quando lá molhamos os pés no mar e às vezes até damos um mergulho a meio do caminho. 

Este momento é dos mais importantes para mim. Sempre que vou à praia gosto de fazer longas caminhadas, seja com quem for. Gosto de falar da vida, das coisas que estão a acontecer. Meter a conversa em dia. E sabem que mais? Nestas caminhadas já tive grandes ideias. O meu E-FIT Isabel Silva, por exemplo, nasceu de uma destas caminhadas que fiz na praia, em Tróia, com o Luiz e a Laura. Contei-vos esta história no artigo de inauguração do meu EFIT. Lembram-se? Espreitem aqui.

344b18d7-413f-4868-a6bf-829f2ed8c2d9.jpg
d3150c47-b2e1-4049-96dc-4d79a6f67b2a.jpg
b57d184e-7968-4644-a5e0-1c21168c89fd.jpg

Mas voltando às minhas férias, quando chegamos à toalha já estamos cansadas. Queimadonas, bem morenas, mas cansadas e cheias de fome, porque já bate aquela hora em que temos de comer. Damos mais um mergulho no mar, voltamos e comemos a nossa marmita. Este é talvez o momento em que a comida me sabe melhor. Amo marmitar na praia. Principalmente depois da caminhada. 

Como já esgotámos os temas de conversa, levantamos e vamos ao café ali ao lado beber o nosso cafézinho, que tão bem sabe. É raro comermos fora nestas alturas, até porque, e quem passa férias no Algarve sabe, uma salada pode chegar a custar 20€, e tem muito menos ingredientes do que as que levamos na nossa marmita. Por isso, prefiro levar a minha. 

Café bebido, é hora de voltarmos à toalha. E fazemos o quê? Ferramos o galho, que é como quem diz, fazemos uma sesta. Adoro fazer sestas na praia, e aprendi a fazer uma coisa com o meu ex-namorado, que fazia isto em todas as sestas. A fazer aquele montinho de areia para colocar a cabeça, estão a ver? Sabe tão bem ter ali aquele apoio. 

Lá fazemos a nossa sesta e, ao acordar, naquele momento em que ainda estou estoirada e sinto aquela brisa a vir do mar, já mais a meio da tarde, sabem em que é que eu penso? Numa coisa super importante e em que só penso quando estou de férias: em nada. Não penso em absolutamente nada. 

Vivo o presente. Sento-me à beira-mar a ver as ondas, molho o rabo com a rebentação e não penso em nada. Nada me vem à cabeça. Nas férias não há problemas, é o momento perfeito para estar comigo e com os meus pensamentos, a cuidar a minha mente. 

b8fdf111-0751-4169-bf28-98d22f88b0ce.jpg
c2d6fff6-791b-422f-9293-7b36b115425c.jpg
1431f2ba-cfda-4667-b213-11270a72f653.jpg

E é nesse momento, ali pelas 18 ou 19 horas, que passa… o homem da Bola de Berlim. Se há coisa que gosto é de comer a bela da bola na praia, como sempre uma por semana, mas estas são especiais. É que o senhor ali da Praia dos Salgados, que tem uma ventoinha e um boné, vai a gritar pelo areal “bolinha light! Esta é a bolinha que não faz mal, não engorda”, e eu como uma, que é light só porque não tem creme, porque de resto é tudo igual. Mandamos abaixo a nossa bolinha, que nos sabe pela vida, e ali ficamos até o sol de por. 

Depois de todo este programa, há uma coisa que é verdadeiramente incríBel, malta. Sabe o que é que faço no dia seguinte, e porque é que adoro mesmo isto? Porque posso repetir, até ao fim das minhas férias. É isto que me faz feliz.

As minhas férias de 2019

Esta é a minha rotina de férias que, obviamente, também cumpri este ano. Passei uma semana com a minha Inês no Algarve, mas antes de me encontrar com ela passei uns dias verdadeiramente inesquecíveis num resort em Lagos, o Cascade Wellness Resort

aaf74950-fea8-450f-b3b5-c08b751381ea.jpg
0221c451-c5ee-49e4-893b-2519cc339968.jpg

Fui de férias com a ideia de desligar, e foi isso mesmo que fiz nos dias em que estive no Cascade. O resort tinha tudo o que precisava para ser feliz, porque foi pensado para quem segue um estilo de vida saudável. Tem ginásio — onde cheguei a ter aulas com uma PT, a Célia — várias aulas de grupo, programas de Bootcamp e até uma zona onde podem fazer treino funcional. 

Nestes dias, como vos disse, não deixo de treinar, por isso, aproveitei para fazer as minhas corridas. Muitas vezes ia sozinha, logo pela manhã, para não apanhar as horas de maior calor, e andava ali na zona à volta do resort. Ainda dava um saltinho à praia para dar o meu mergulho matinal e, assim que voltava, tinha um mega pequeno-almoço à minha espera. Tudo pensado ao pormenor com fruta fresca, legumes, saladas ótimas e até panquecas veganas comi, com cogumelos e abacate. 

63b101f6-5fab-41bf-b01a-e30eda412ae1.jpg
cd18fb65-5b4d-44ad-9bab-321f95e228f9.jpg

Ainda tive tempo para aproveitar a zona do SPA do Cascade, onde podem fazer vários tratamentos, entre eles, uma massagem desportiva. Vocês sabem que adoro o meu Urbano e não vivo sem ele — espreitem aqui o vídeo que gravámos juntos — mas a verdade é esta, a massagem que fiz no Cascade soube-me pela vida. 

Os IncríBeis. Um treino diferente, com parabéns, um mergulho e o pôr-do-sol

Os IncríBeis. Um treino diferente, com parabéns, um mergulho e o pôr-do-sol

A minha roupa conta sempre uma história. Estas são muito especiais

A minha roupa conta sempre uma história. Estas são muito especiais