Yoga Suspenso

 

As 3 ao mesmo nível. E ao mais alto nível...

Yoga Suspenso!! Quando a Primark me lança este desafio, a curiosidade foi a primeira a falar mais alto. Ok. Yoga, bem ou mal, todos nós temos uma noção do que é, no entanto não deixa de ser vago. Por essa razão vamos lá acrescentar "Suspenso"! O que torna tudo muito mais interessante e altamente motivador. 

Hoje chego a Sevilha para correr, já neste domingo, 42Km e 195M. E esta aula, a 3 dias da prova, foi a "cereja em cima do bolo". Vamos lá trabalhar o equilíbrio, a flexibilidade, o foco e desafiar a gravidade a alguns centímetros do chão. Quando cheguei ao estúdio Jaya Aerial Lab fiquei logo a perceber aquilo que ia fazer, tantos eram os retratos incríveis de alunos e professores a praticarem a modalidade ao longo do corredor da Escola. Um dos retratos chamou-me à atenção. Fiquei colada à uma imagem de um homem, suspenso por um tecido, numa posição acrobática linda, apoteótica, inspiradora. Adorava saber o nome técnico da posição... Bom, isto para dizer que, aquilo que me fascinou foi, ao mesmo tempo, ele manter, através do rosto, uma expressão serena e honestamente feliz.

Parei, apreciei e fiz um instastory. E continuei em direcção à minha sala. Ora, o melhor no meio disto tudo foi perceber que aquele homem, chamado Rui, é um dos professores da escola e será ele a dar-nos a nossa primeira aula de Yoga Suspenso. O que é que eu vos posso dizer? Não Aguento!! O rasgo de entusiasmo triplicou na proporção da minha curiosidade. 

Foi uma aula super absorvente. Podia ter sido frustrante mas não foi. Podia, porque efetivamente, a minha flexibilidade está uma miséria e por essa razão, senti dificuldade em todos os exercícios que o Rui me deu. É quereres fazer com aquela leveza e suavidade que ele faz. É quereres que aquele movimento pareça orgânico, que já nasceu contigo, e saberes que "nem pouco mais ou menos" estás lá perto. Isso irritou-me. Mas por outro lado, só a coragem que eu tive em fazer aquelas acrobacias invertidas com a ajuda do Rui e perceber que, com mais ou menos técnica, consegui, deu-me logo confiança e vontade para querer continuar a tentar. A flexibilidade treina-se. E, de facto, logo na primeira aula notou-se a diferença!!

Expliquei ao Rui a minha condição naquele momento. Vou correr uma maratona, logo, não posso andar por aí a fazer mortais encarpados e "cenas" super desafiantes, não vá lesionar-me e depois nunca me perdoaria. O que seria condicionar a minha performance em Sevilha por causa do meu entusiasmo. É neste seguimento que o Rui me deu a experimentar uma série de posições super benéficas para quem corre. Fiz muitas posições de guerreiro para alongar bem os flexores da anca. Fiz arcos, triângulos e meia lua. Certamente o meu corpo ainda não me permite representar com pompa e circunstância todos estes nomes mas, se eu quiser, eu consigo lá chegar.

Uma coisa é certa, no final, senti tudo de bom. Claramente que fiquei mais ágil e menos encurtada na zona das pernas e anca (vou mais "soltinha" para a Maratona. Claramente) como ganhei mais consciência do meu corpo. Vá... E confesso que confio mais um bocadinho no tecido. 

 
 

Força, equilíbrio e flexibilidade. São estas as premissas que são levadas muita à séria. Yoga suspenso é um desafio é um grande treino. Queimas à séria. Tonificas e ao mesmo tempo é profundamente libertador. 

Gosto de ter novas sensações. De sentir o corpo de uma outra forma e numa outra dimensão. Nesta manhã eu consegui isso mesmo. Foi altamente inspirador. Por tudo isto que acabei de vos contar e porque não o fiz sozinha. A Anita e a Mia também foram desafiadas pela Primark. Tal como eu, também elas partilhavam o mesmo entusiasmo. Confesso que das 3 eu era a que estava em "pior estado". Pelo menos foi o que me pareceu. Mas eu não desisti. Fiz tudo, a dar sempre o meu melhor. E disse ao Rui: "Deixa-me correr a Maratona no domingo e depois falamos". 

E por falar em Maratona: amanhã temos artigo aqui no meu BLOG. Um pequeno desabafo de quem está há 3 meses a preparar se para uma prova de 42.195m!!

 
 
 

Fotografias de Tomás Monteiro

Este post foi patrocinado pela Primark.