É amanhã! Vou correr 42Km e 195M na cidade de Sevilha!

 

Correr uma Maratona é muito mais do que o dia da prova....

Eram 11h23 do dia 22 de Novembro quando fiz o meu primeiro treino rumo à Maratona de Sevilha. Lembro-me como se fosse hoje: foram 15 Km intervalados a 4.23 min/km e sentia-me cheia de força, motivada e acima de tudo feliz por iniciar, pela terceira vez, mais uma preparação para aquela que é, para mim, a prova mais prazerosa e desafiante que fiz até hoje. Gosto de provas longas e a distância de uma Maratona é aquela que me enche o coração.

Há 3 meses que já estou na corrida rumo ao dia de amanhã. E são 3 meses de pura excitação, entusiasmo mas de compromisso. Se queres correr com saúde, se queres terminar a prova com um sorriso rasgado de orelha a orelha, então tens de te focar e cumprir todos os objetivos diários. Como é óbvio, há uma vida para lá da Maratona. Eu não vivo da corrida e tenho os meus compromissos profissionais e tantos outros pessoais – então no meu caso, nesta preparação foi tudo ao mesmo tempo. Foi o nascimento do BLOG e do LIVRO, projetos novos na TVI e todo o meu entusiasmo e energia, à volta do vosso entusiasmo. São muitos pontos que me quis dedicar, muito amor para dar e partilhar e a pessoa só consegue dizer que "Não Aguenta" tanta coisa boa – mas correr para mim é vital para ser mais feliz. Gosto tanto de correr (faça chuva, faça vento ou faça sol) que sou incapaz de olhar para esta paixão de ânimo leve.

Valorizo a qualidade e o prazer e bem sei que, para correr até "ser velhinha", tenho de fazer por isso: respeitar o meu corpo, dar-lhe todas as condições para ele se sentir bem à minha beira. E isso implica dar-lhe descanso nas alturas certas, treinos qualitativos, massagens para ele não me tramar e, claro está, dar-lhe o melhor combustível para ter a melhor energia – a minha comida do Bem. E se eu conseguir reunir todas estas condições, então a confiança vai lá estar no dia da prova. Isso. A confiança. É preciso estarmos "confiançudos" no dia da prova. Basicamente termos a consciência do que fizemos ao longo de 3 meses para depois tirarmos a simples conclusão: estás ou não estás pronto? Pessoal, eu estou confiante. E já só quero ouvir o tiro da partida no domingo as 8h30 da manhã. 


Das 3, esta foi a preparação mais relaxada
 

Verdade. Talvez por, e bem sei que só vou para a terceira Maratona, já ter a experiência das provas no Porto e em Roma. Algumas coisas falharam nas anteriores, a ansiedade era outra e acima de tudo não tinha a consciência que hoje tenho do meu corpo. Já sei o que devo comer antes da prova e com que antecedência. Já sei qual o gel indicado, quantos devo tomar e em que timing da prova. Massa no dia anterior, nunca na vida. Arroz ou batata doce é aquilo que o corpinho quer. 1,5L de água por dia,  a 3 dias da prova, não chega. 2L por dia, no mínimo, para evitar a retenção (meninas, é o meu tendão de Aquiles. Sofro horrores psicologicamente quando estou inchada. É a depressão total. Quem corre comigo atura estas minhas angústias e devaneios. Mas e então? Há quem se queixe de outros males. Todos nós temos uma pedra no sapato. É é só espetacular identificarmos o problema para evitarmos algum desconforto). A banana é "mandada" abaixo 45 minutos antes da prova e até lá já fui 3 vezes à casa de banho (muito kiwi e sementes de cânhamo nessa hora. Verdade. 2 kiwis por dia, uma colher de chá destas sementes e 1 probiótico de manhã são o segredo para a minha flora intestinal andar "impecáBel". No meu caso. Cada um tem o seu metabolismo. Não se ponham agora a tomar o que quer que seja sem antes escutarem o vosso corpo). Adiante.

Lançar o meu I am Isabel Silva a 4 de Dezembro e um Plano do Bem a 18 de Janeiro, no seguimento da minha preparação para Sevilha, foi talvez o maior dos desafios. Enquanto que nas outras provas eu consegui estar 100% focada na preparação (conseguia gerir tudo com tranquilidade com a minha vida profissional), nesta tive de dividir as atenções e estabelecer prioridades.


Quero correr uma Maratona cheia de saúde e feliz? Quero.


Mas também quero lançar estes dois lindos projetos com toda a minha energia e amor. Mais: quero ter tempo para comunicar e partilhar com aqueles que me seguem e que há tanto tempo esperavam estes 2 nascimentos. E consegui. Não acham? Consegui lançar o meu BLOG e o meu LIVRO e ao mesmo tempo estar ainda mais presente nas vossas vidas. Vejam só este artigo: foram todos lanchar e eu estou aqui, num Airbnb em Sevilha, sentada no sofá da sala a escrever para vocês. A adorar este momento, devo confessar-vos. Todo um silêncio à minha disposição. Assim não disperso.

Preparar-me desta forma acabou por ser bom. Vivi intensamente a preparação mas o facto de não estar demasiado focada só na corrida foi bom para não criar "macaquinhos na cabeça", em relação a lesões e expectativas. Claro que a experiência das outras provas também ajudou. Não obstante, não deixo de pensar neste preciso momento se estou ou não preparada para a Maratona. Afinal de contas, a minha última Maratona foi a 11 de Abril do ano passado. Pois... Mas isso agora não interessa para nada. Fiz os longos que tinha de fazer, as séries, os fartleks, os regeneradores, as retas e tudo e tudo. Tenho de estar preparada! Só se a mente não quiser. Ah pois!! Mas no que toca a esse ponto sinto-me forte. Dou o que tenho. E quando assim é " a mais não é obrigada". ADORO expressões honestas com o poder de me tranquilizarem. Esta é uma delas. Já agora, vocês têm alguma? Partilhem please. Pode ser que me identifique com alguma. 


Ao longo da preparação fiz 3 provas para testar a máquina.
 

Quis fazer a Meia dos Descobrimentos a 4 de Dezembro, o Grande Prémio de Natal a 11 de Dezembro e o Fim da Europa a 29 de Janeiro. Só não participei na Meia Maratona de Viana do Castelo porque estive no Meu querido Somos Portugal. Porquê estas provas? Simplesmente porque tenho uma ligação com todas elas. Trazem-me boas recordações – fiz sempre bons tempos, conheci pessoas incríveis e os percursos são do meu agrado. Confesso, vá... Tinha um pequeno objetivo nesta preparação para Sevilha: queria muito baixar a minha marca aos 10 Km. Queria muito correr 10 km abaixo dos 40min. E lá consegui (espreitem o artigo desta prova). Boa!! Festejei, comi bem, descansei e ponto final. Amanhã é outro dia. É assim foi. Sevilha na mira.


Sinto-me. É isso mesmo. Sinto-me como desejava sentir-me. Bem!!
 

É engraçado que, na fase de tapering (aqueles últimos 15 dias antes da prova em que começas a reduzir carga) parece que começam a aparecer dores que nunca antes existiram. Então agora no meu caso parece que tenho duas contraturas na coxa e no gémeo. Será que tenho? Ou é psicológico? Às tantas já nem sei definir. Depois, surgem aqueles receios de uma constipação, logo, não convém dar mergulhos no mar. Fazer uma aula de surf? Crossfit? Padel? Nem pensar. E se te lesionas? O que seria arriscar nesta fase do campeonato.

Nestes últimos dias, como retiro a carga, sinto que estou cheia de energia acumulada. Sou capaz de correr 2 horas a 4:20min/km e mesmo assim não sei se chega. Eheheheh. Que exagero Isabel. Mas é um bocado isto. Acima de tudo, neste dias tenho vontade de dar tudo, mas não posso. Nas duas maratonas anteriores quase comprometi as minhas provas por causa de 2 atos inconscientes a dias da Maratona: uma vez decidi correr 10 Km, supostamente regeneradores, a 4:20; da outra vez "armei-me em chica esperta" e fui fazer um treino de séries curtas quando na realidade tinha apenas 50 minutos lentos. Que sabedoria Isabel Silva! Valeram-me duas pequenas lesões que me assaltaram a confiança assim "num tirinho" mas que ao mesmo tempo me fizeram "abrir a pestana". Muita calma nessa hora. O dia vai chegar, e quando assim for vais ter tempo de testares a intensidade da tua energia. 

Tudo aponta para uma temperatura de 19 graus para amanhã. Mas quando começar a correr estarão 9 graus, mais coisa menos coisa. Bom! Muito bom! O clima aqui em Sevilha é semelhante ao de Lisboa. Portanto, este é um factor que me tranquiliza. Vim de carro para poder trazer comigo toda a minha comidinha do Bem: tapioca, aveia, superalimentos, arroz, especiarias e temperos. A casa tem uma boa cozinha e fica a 4 km da partida. Transportes não faltam. O kit de corrida é o mesmo de sempre. Não vale a pena inventar. Só estes pontos que enumerei são já fundamentais para me deixarem tranquila.


Espírito de partilha e camaradagem não vão faltar.
 

Agora, o que também é de valor e me deixa em profundo entusiasmo: não vim sozinha. Somos 11 a correr a Maratona e 7 deles vão correr 42 Km e 195m pela primeira vez. E isto também é correr uma Maratona. Estamos todos tão felizes, pessoal. Independentemente de tudo, e bem sabemos que o grande dia é já amanhã, todos sentimos que já corremos a Maratona. O pior já passou. Já treinámos muito, já abdicámos de muitos fins-de-semana de jantaradas e férias em prol da corrida, já corremos muitos longos à chuva e ao vento e já desmotivámos vezes suficientes (e já as superamos, como é óbvio). Agora que já ultrapassámos tudo isto, o melhor vem agora: com consciência e foco, vamos todos curtir a Maratona de Sevilha!!! Todos!!! Vai ser lindo e eu já só quero correr.

E posto isto, vou terminar a minha partilha do dia. Na realidade, destes 3 meses de preparação. Amanhã é O DIA!!! E agora vou deliciar-me com uma das refeições mais importantes antes da Maratona. Estão todos a chamar por mim. Tenho os meus camaradas à minha espera. Vamos lá atestar o depósito!

Eheheheheheh!!!
Eu não aguento o que aí vem!