O meu amor pela Quinta do Arneiro

 

Da terra para a mesa...

Tenho uma profunda admiração pela Luísa. Tenho um carinho único pelo Duarte. Adoro a companhia do Rodrigo e do Tomás. Sou completamente apaixonada pela Quinta e pela forma como eles se dedicam a ela. Sinto todos como família. E, pondo de parte os cabazes do bem que todas as semanas chegam a minha casa, a minha história com a Quinta é outra. São muitos os sábados e domingos que fazemos estes encontros. Eu chego, abraço e converso. Vou à terra e tiro tudo aquilo que o Duarte me sugere. Vamos todos para a cozinha e inventamos com o que a Terra nos dá. Temos a mesa à nossa espera. E o sol… Até ele se pôr. É tudo tão bom que sinto sempre que deveria de fazer isto, ainda mais vezes. Eles dizem-me sempre o mesmo.